Saúde de Rio das Ostras marca Setembro Amarelo com atividades online e presenciais para pequenos grupos

Ações acontecem nas salas de espera. Esquetes teatrais e rodas de conversa online estão na programação

0
334

Rio das Ostras abraça o Setembro Amarelo e a prevenção ao suicídio. O Município programou atividades para marcar a campanha, que, por conta das restrições impostas pela pandemia, vem sendo realizada em pequenos grupos, nas unidades de Saúde, e em atividades online.

Sob o tema “Agir Salva Vidas”, o Setembro Amarelo chama a atenção da sociedade para a importância das atitudes que podem mudar as estatísticas de suicídio no Brasil e salvar milhares de pessoas. Todos os anos, são registrados mais de 13 mil suicídios no País. A maior parte dos casos, relacionados a transtornos mentais. 


ATIVIDADES – Este mês, a Secretaria de Saúde de Rio das Ostras está promovendo atividades de conscientização relacionadas à prevenção ao suicídio nas unidades. A programação envolve a população e as equipes técnicas, incluindo os agentes comunitários de saúde. Os profissionais de Saúde estão sendo sensibilizados quanto a identificação e encaminhamento de casos.

“As unidades de Saúde estão colocando cartazes e outros materiais de comunicação visual para mostrar, não só o apoio à causa, mas que ali é um local de acolhida a quem precisa de ajuda”, explica Michella Câmara, diretora do Departamento de Programas de Saúde.


TEATRO – No Nasca – Núcleo de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente, a programação inclui esquetes teatrais, realizadas antes dos acolhimentos com os adolescentes e suas famílias.

As peças trazem temas como angústia, tristeza e suicídio, tratados em situações e linguagens próximas da realidade dos jovens. Um dos esquetes, por exemplo, conta a história de uma adolescente que entre as amigas demonstra felicidade, mas, quando sozinha, sente profunda tristeza. Quem apoia a jovem é uma tia, que já havia perdido um amigo por suicídio e soube “ler os sinais” de que a sobrinha precisava de ajuda.

“A gente quer mostrar como é a melhor forma de acolher uma pessoa com sofrimento, como ajudar, e como são os sinais de que uma pessoa não está bem”, conta a coordenadora do Nasa – Núcleo de Atenção à Saúde do Adolescente, Adriana Maria da Silva.

ONLINE – O Programa de Hipertensão e Diabetes – HiperDia está utilizando a internet para tratar do tema. Neste período da pandemia, o Programa, que já mantinha um grupo com encontros presenciais, levou a iniciativa para o WhatsApp. Foi criado um grupo virtual, com a presença da equipe e das pessoas atendidas, que mantém reuniões semanais.  

Nesta segunda, dia 20, a Roda de Conversa do Grupo teve o Setembro Amarelo como tema, coordenada pela psicóloga do Programa, Damiana Corrêa. Depressão, ansiedade e outros assuntos foram tratados nesse encontro, com objetivo de esclarecer os participantes sobre os fatores de risco e vulnerabilidade que podem levar ao suicídio.

Damiana falou também sobre como é possível ajudar quem está passando por essas dificuldades. “Mostre à pessoa que você se importa; que está preocupado e que deseja ajudá-la. Não deixe essa pessoa sozinha por muito tempo”, orienta a psicóloga.

As atividades nas unidades de Saúde seguem até o final do mês, sempre com atenção aos protocolos de prevenção à transmissão do coronavírus.  

FAZER UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui