Prefeito Welberth Rezende projeta Macaé como Capital Nacional de Energia

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Vinícius Farah e o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, José Mauro, corroboraram com a meta do prefeito, que passa pela ampliação de investimentos na cidade e geração de empregos.

0
116

O prefeito Welberth Rezende defendeu nesta terça-feira (31), durante abertura do workshop do Programa de Revitalização e Incentivo à Produção de Campos Marítimos (Promar), um novo ciclo de desenvolvimento econômico para Macaé: a consolidação do município como Capital Nacional de Energia. O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Vinícius Farah e o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, José Mauro, corroboraram com a meta do prefeito, que passa pela ampliação de investimentos na cidade e geração de empregos.

“O Promar é um divisor de águas na história de Macaé, do governo do estado e do Brasil. A visita do ministro (de Minas e Energia, Bento Albuquerque) na cidade garantiu que estamos no caminho certo da superação, ao elevar o fator de recuperação dos campos maduros, ao reverter a taxa de declínio de produção dessas áreas”, comentou o prefeito.

Welberth destacou que a retomada depende da definição dos marcos regulatórios e a rediscussão das concessões de áreas de produção e a viabilidade de parcerias entre as grandes empresas operadoras de petróleo e as empresas que apostam no potencial das reservas maduras. “Com isso vamos garantir fôlego e oportunidade para toda a cadeia produtiva de óleo e gás instalada há quatro décadas no município”, ressaltou.

O Parque Térmico Sudeste, com o processamento do gás natural e as novas termelétricas, a rota 5, a rota 2 com o projeto rota cabiúnas, além da revitalização dos campos maduros e a base Benedicto Lacerda no Terminal Cabiúnas são fatores que contribuem para o objetivo do prefeito em fixar Macaé como a Capital Nacional de Energia.

“Esse workshop pretende marcar a construção desta nova trajetória que surge a partir de US$ 30 bilhões de investimentos projetados pela própria indústria e a partir da revitalização de campos maduros ao longo dos próximos anos. O Promar devolve à região a perspectiva de promover dignidade e qualidade de vida para a nossa população através dos mais de 200 mil empregos que serão gerados através destas operações a longo prazo e transformar o norte do Estado do Rio de Janeiro, em especial Macaé, na Capital Nacional da Energia”, frisou Welberth.

Estado e União declaram apoio a projeto do prefeito

Na abertura do evento do Promar, tanto o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Vinícius Farah e o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, José Mauro, declararam que tecnicamente é viável a consolidação de Macaé como a Capital Nacional de Energia.

“É um orgulho para nós, Ministério de Minas e Energia, realizar um evento aqui, o que contribuirá para que Macaé seja a Capital Nacional de Energia. Parabéns pelo trabalho que o senhor (prefeito Welberth) vem realizando na cidade trazendo importantes investimentos que gerarão aumento na arrecadação e de emprego e renda”, destacou José Mauro.

Segundo o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Vinícius Farah, o arranjo de óleo e gás vai sustentar o país pelos próximos 30 a 40 anos e a Prefeitura de Macaé, em parceria com o Estado, estão entregando um ambiente favorável para que a cadeia produtiva possa progredir neste novo momento.

“Este é o maior momento do Estado do Rio e da região Norte e o governo federal está cumprindo seu papel, com foco no desenvolvimento econômico e apostando naquilo que é a maior fonte de receita do país e dos estados: óleo, gás e energia. O Rio está pronto, Macaé está pronta e o governo federal está cumprindo o seu papel”, pontuou o secretário de Estado.

De acordo com José Mauro, o principal objetivo do Promar é revitalizar os campos maduros, principalmente na Bacia de Campos, fazendo com que a vida útil desses campos seja maior, aumentando o fator de recuperação, a produção, gerando mais royalties, mais arrecadação de tributos e emprego e renda. “Além disso, outro objetivo do Promar é viabilizar as descobertas de economicidade marginal, são descobertas que dentro do arcabouço regulatório existente não permitem a comercialidade deste campo, mas trabalhando em âmbito do Promar, nós teremos iniciativas criando ambiente de negócio propício”, exemplificou.

FAZER UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui